Blog do Ineep

início       análises      site institucional

Petrobras corta em 8,5% seu pessoal

André Ramalho / Valor      sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020

Compartilhe esta página com seus amigos

Foto: Pedro Teixeira.

 

Valor - A Petrobras cortou em 8,5% o seu número de empregados em 2019. A companhia chegou, ao fim do ano passado, com um efetivo de 57.983 trabalhadores, 5,3 mil funcionários a menos do que o quadro registrado em 2018 e 22,9 mil a menos do que em 2014, quando a estatal entrou em crise financeira. A tendência é que a força de trabalho continue a cair, à medida que a empresa avança com a venda de ativos e com os programas de desligamento voluntário (PDVs).


O corte do número de empregados se deu, sobretudo, nas controladas e no exterior, em função dos desinvestimentos. Em 2019, a empresa conclui a venda de controladas como a Transportadora Associada de Gás (TAG) e de ativos internacionais, como o negócio de distribuição do Paraguai e a refinaria de Pasadena (EUA).


Ao todo, a estatal fechou 2019 com 46,4 mil funcionários na holding (a controladora), ante os 47,5 mil de 2018, segundo o relatório anual da Petrobras. Nas controladas, o efetivo caiu de 13,9 mil para 10,7 mil trabalhadores entre 2018 e 2019 e, no exterior, o quadro recuou de 1,87 mil para 876 trabalhadores.


Para 2020, a expectativa é que novos cortes sejam feitos, com o avanço dos PDVs. No ano passado, a companhia lançou três programas do tipo: o primeiro voltado para empregados aposentados, o segundo para empregados de áreas em desinvestimento, e por fim, um terceiro voltado para empregados de áreas corporativas. Dos 3.294 empregados inscritos nesses três programas, 995 deixaram a Petrobras em 2019. Ou seja, ainda há ao menos 2,3 mil inscritos por se desligar.


Desde 2014, o número de empregados que deixaram a companhia devido aos PDVs soma 17.590. A estatal já pagou R$ 5,83 bilhões em indenização por esses programas, que representavam, em dezembro, um retorno financeiro de R$ 28,34 bilhões em custos evitados, segundo informações do relatório anual de 2019.


Já em termos de contratação, apenas 288 pessoas ingressaram na estatal no ano passado. A empresa não fez processos de seleção pública e contratou o novo pessoal com base nos concursos dos anos de 2017 e 2018. 


O perfil do empregado da Petrobras continua sendo, majoritariamente, composto por homens com ensino superior. Do efetivo geral da empresa, 84% do pessoal era do sexo masculino em 2019. Dos membros da holding, 61,3% têm ensino superior, com ou sem especialização, mestrado ou doutorado.

 

Comentários


O que você procura?


Últimas Postagens

Leilões em xeque

segunda-feira, 30 de março de 2020

Petrobras hibernará plataformas em Campos

segunda-feira, 30 de março de 2020

IHS Markit: Brasil em situação vulnerável

segunda-feira, 30 de março de 2020

Gigante do petróleo chinês está cortando gastos

segunda-feira, 30 de março de 2020

Vazão de gás no pré-sal crescerá 45% até 2023

sexta-feira, 27 de março de 2020

Eni e Repsol cortam capex

sexta-feira, 27 de março de 2020



Nota editorial

Os textos publicados neste blog são de responsabilidade dos seus autores e não refletem necessariamente a linha programática e as opiniões do Ineep. A função do blog é divulgar os principais fatos e notícias do setor petróleo e, quando oportuno, analisar assuntos relevantes. São essas análises, elaboradas pelo Ineep, que apresentam a opinião do Instituto sobre os mais diferentes assuntos debatidos na conjuntura setorial.