Blog do Ineep

início       análises      site institucional

Shell não está competindo com a BP nas metas de "zero líquido" de emissões

Tsvetana Paraskova / Oil Price      terça-feira, 25 de fevereiro de 2020

Compartilhe esta página com seus amigos

Foto: Oil Price.

 

Oil PriceA Shell não pretende "entrar em uma corrida armamentista" com a  super major BP em relação às metas para reduzir sua marca de carbono, disse Maarten Wetselaar, Diretor de Gás Integrado e Novas Energias da Shell, ao The Times, uma semana após a BP ingressar no grupo de majores de petróleo que estabeleceram metas de redução de carbono.

 

Em dezembro de 2018, a Shell afirmou que planeja estabelecer metas de curto prazo para reduzir as emissões líquidas de carbono dos produtos energéticos que vende, e vincular essas metas à remuneração de executivos.

 

O mundo precisa chegar ao ponto em que deixará de aumentar o estoque de gases de efeito estufa, e reduzir as emissões para zero líquido "é o único caminho a percorrer", disse o executivo-chefe da Shell, Ben van Beurden, neste verão, chamando os empresários a trabalharem juntos para avançar mais rapidamente na abordagem das mudanças climáticas.

 

No entanto, o principal negócio da Shell é e continuará sendo petróleo e gás no futuro próximo, afirmou van Beurden.

 

No ano passado, a Shell também estabeleceu metas de curto prazo para reduzir a pegada líquida de carbono dos produtos energéticos que vende.

 

A Shell tem compromissos significativos para reduzir sua pegada de carbono, embora as promessas da BP incluam "um conjunto mais amplo de anúncios", disse Wetselaar da Shell ao The Times.

 

Na semana passada, a BP disse que pretendia se tornar uma empresa zero líquido até 2050 ou mais cedo, mas recebeu críticas sobre a falta de detalhes sobre como alcançaria seu objetivo.

 

Comentando sobre o alvo da BP, Wetselaar da Shell disse ao The Times: "Quando os entendermos, pensaremos sobre eles, mas no momento não acho que precisamos entrar em uma corrida armamentista com metas de CO2 - é muito mais importante executarmos nossa estratégia para reduzir nossa pegada líquida de carbono".

 

A BP ainda não definiu metas vinculativas de curto prazo para reduzir sua pegada de carbono - algo que a empresa anglo-holandesa já fez, observou o executivo da Shell.

 

Comentários


O que você procura?


Últimas Postagens

Leilões em xeque

segunda-feira, 30 de março de 2020

Petrobras hibernará plataformas em Campos

segunda-feira, 30 de março de 2020

IHS Markit: Brasil em situação vulnerável

segunda-feira, 30 de março de 2020

Gigante do petróleo chinês está cortando gastos

segunda-feira, 30 de março de 2020

Vazão de gás no pré-sal crescerá 45% até 2023

sexta-feira, 27 de março de 2020

Eni e Repsol cortam capex

sexta-feira, 27 de março de 2020



Nota editorial

Os textos publicados neste blog são de responsabilidade dos seus autores e não refletem necessariamente a linha programática e as opiniões do Ineep. A função do blog é divulgar os principais fatos e notícias do setor petróleo e, quando oportuno, analisar assuntos relevantes. São essas análises, elaboradas pelo Ineep, que apresentam a opinião do Instituto sobre os mais diferentes assuntos debatidos na conjuntura setorial.